Gênesis 5

Gênesis 5

Aqui começa a segunda “história da descendência” do Livro de Gênesis. A primeira foi a dos céus e da terra e seus filhos (cf. Gênesis 2.4), dos quais a narrativa se concentrou em um: adam, o Humano. Seguimos as suas peripécias até o fim do capítulo 4. Agora, no capítulo 5, começa a “história da descendência” deste Humano. O Humano (homem e mulher, 5.2) gera um filho “à sua imagem e semelhança” (como Gênesis 1.26). Depois, tem mais outros filhos e filhas, vive muito tempo e depois morre. O filho gerado, por sua vez, também gera um filho e depois tem outros filhos e filhas, vive bastante e depois morre. E assim vai.

Hoje em dia, achamos meio cansativo estas repetições. Mas quando a gente aprende a ouvir o que aí é dito, a gente começa a dar valor a elas, o valor que Deus lhes dá. Muita coisa depende destas repetições. A Bíblia fala de um “livro da vida”, um livro com a lista dos “vivos” (todos que estão na presença de Deus estão vivos, Mateus 22.32). Cada nome acrescentado a esta lista é acompanhado de uma explosão de alegria “no céu” (Lucas 15.10). Quando olhamos isso assim, as listas da Bíblia deixam de ser cansativas. Ficamos felizes por cada novo nome acrescentado, porque ele significa que a bênção de Deus continua sobre a humanidade. 

Na narrativa de Gênesis, quando uma lista termina se conta histórias sobre pessoas dessa lista. E aí a lista continua. Esta próxima lista, então, será interrompida para narrar eventos marcantes sobre pessoas dessa lista. E assim vai. Graças a Deus que “assim vai”, e que esta grande história chega até nós hoje e inclui os nossos próprios nomes nesta grande lista das pessoas amadas por Deus!

Dia 14 – Ano 1

Gênesis 1.26 – 2.3

Gênesis 1.26 – 2.3

O movimento da criação chega ao seu ápice no sexto dia (Gênesis 1.24-27). Nele, ao comando de Deus, a terra faz surgir as espécies animais que povoam o planeta (1.24). Nele, também, Deus faz o ser humano (1.26-27). Este relato tem características próprias. Primeiro, Deus dialoga com os seres espirituais à Sua volta, que participam do processo. Segundo, o adam (ser humano) a ser criado terá responsabilidade sobre a vida no planeta. Terceiro, o ser humano será representante do Criador (Sua imagem).

O v.27 deve ser lido com atenção. “E criou Deus o ser humano à Sua imagem, à imagem de Deus o criou. Masculino e feminino os criou”. O ser humano criado à imagem de Deus contém em si tanto o princípio masculino como o feminino. Eles só serão separados mais tarde (Gênesis 2.20-25). O ser humano à imagem de Deus é como o próprio Deus, com características tanto paternas quanto maternas, tanto masculinas quanto femininas. Isso se reflete, entre outras coisas, no modo como ele deveria administrar a criação. Não como dominadores, mas como “pastores do ser” (1 Pedro 5.2-3), cuidadores e cuidadoras da criação e da vida.

Ao fim do sexto dia, Deus examina tudo que fez (“os céus, a terra e o conjunto dos seres que os habitam”, Gênesis 2.1). E constata que tudo está “muito bom” (1.31). No sétimo dia, temos o que Hebreus 4.10 chama de “descanso de Deus”, que completa a criação. Deus o declara “dia santo” (Gênesis 2.3). Paulo o descreve como o dia em que Deus “será tudo em todos” (1 Coríntios 15.28). Os humanos são chamados a viver a boa criação divina na perspectiva desse dia, que emoldura a nossa caminhada.

Dia 5 – Ano 1