Publicado em

Reflexões na Hora Silenciosa

O assunto de hoje é a leitura diária da Palavra de Deus. Um dos primeiros conselhos que jovens crentes recebem, e um dos mais difíceis de realizar ao longo da vida. Precisamos urgentemente nos reconciliar conosco mesmos, neste aspecto. O lado que aceita qualquer pretexto para fazer qualquer outra coisa e não ler a Bíblia, precisa conversar com o lado que sabe que ler a Bíblia faz bem e é muito importante.

Na minha leitura de hoje, passei por dois versículos no capítulo 44 de Jeremias. O primeiro (v.6) me chamou tanto a atenção em um aspecto, que me forçou a uma parada para ruminação. Voltando à leitura, logo o próximo versículo (v.7) fez o mesmo. Mais uma parada, pit stops dentro do pit stop diário que é a hora silenciosa. O bem que eles fazem, só quem vive isso pode dizer.

Meditando a Palavra
O contexto de Jeremias 44 é uma palavra de Deus, através de Jeremias, aos judeus (ou judaítas, para diferenciar os antigos habitantes de Judá dos modernos judeus) que haviam fugido para o Egito, contrariando o conselho divino, de que ficassem em Judá (que havia sido arrasada pelo exército babilônio).

A palavra de Deus, séria, mesmo assim contém um toque carinhoso, que talvez só os anos de leitura nos deixem perceber. São pequenos detalhes no texto que deixam isso transparecer. “Vocês viram”, diz o Senhor através do profeta, “tudo que aconteceu a Jerusalém e Judá” (dá para perceber a dor no coração de Deus). “Mas foi porque vocês insistiram em fazer mal”. “Eu cansei de advertir vocês, mas não ouviram, preferiram a companhia de outros deuses”. “E assim…” e é sobre este “assim” que queremos refletir agora.

No v.6, Deus diz “E a minha indignação e a minha fúria se derramaram”. O que me impactou foi que, acho que pela primeira vez na vida, tive a impressão naquele momento que Deus estava falando de uma coisa que nem Ele próprio podia conter. E que não era a Sua verdadeira vontade. É um dinamismo dentro Dele que é ativado, como que por conta própria, quando algo no universo o aciona.

Deus de Ira, Deus de Amor
A relação entre o amor de Deus e a ira de Deus é um dos problemas mais complexos para a teologia. Desde sempre se tem pensado sobre isso, e tentado dar uma resposta dentro do horizonte do que o nosso pensamento pode alcançar. E sempre de novo a resposta parece insatisfatória, à medida em que a nossa sensibilidade teológica vai crescendo.

Pessoalmente, aprendi a ver novos aspectos deste problema lendo C.S.Lewis. Talvez muitos lembrem, ou do livro ou do filme, daquela parte mais para o fim de O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa (no livro, capítulos 13 a 15; o 13 fala da “Magia profunda na aurora do tempo”, o 15 da “Magia ainda mais profunda de antes da aurora do tempo”).

Em Jeremias 44:6, Deus parece estar na situação que Lewis descreve. Uma magia profunda na aurora do tempo exige Dele, como Criador e Mantenedor do universo, que a justiça seja feita, para que o caos primordial não retorne. E assim, sua indignação e fúria se derramam. Pois algo aconteceu que as acionam. Nas Crônicas de Nárnia, isso é chamado de “O triunfo da feiticeira”, o capítulo 14, que está entre o 13 e o 15. Este vai, finalmente, acionar a indignação e a fúria divina, que se derramarão em juízo sobre o mundo. E aí, sai debaixo.

Mas há uma “magia ainda mais profunda”. Como ela é “de antes da aurora do tempo”, nem o Inimigo (no caso, a feiticeira) sabe dela. Na linguagem bíblica, esta magia leva o nome de amor. Ela é secretamente acionada ao mesmo tempo que a indignação e a fúria (ou talvez uma leve à outra, não sabemos bem). Ela faz com que, bem, conhecemos a história: Aslã morre por Pedro, e tudo mais.

A dimensão mais profunda em Deus é a do amor. Da qual a indignação e a fúria fazem parte, de um jeito que não sabemos explicar. Doloroso, cheio de sofrimento para o mundo sobre o qual elas se derramam. Deus, porém, não só a derrama. Na continuação da história da qual o livro de Jeremias faz parte, Ele mesmo se colocou debaixo dela, em lugar de todos nós. Isso reforça a impressão da leitura deste versículo: Deus sofre quando Sua ira é derramada sobre o Seu mundo.

***

Livro(s) publicado(s) pelo autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *